Entre o bem e o mal

Fala-se em crise econômica, crise social, crise política, crise de valores e tantas outras crises, e, diante desse quadro, as projeções futuras se tornam nebulosas e contraditórias. Esquecemos que, na verdade, estamos vivendo um momento em que o bem e as virtudes estão tomando conta da vida, e aqueles que durante muito tempo se mantiveram no mal, estão tendo de prestar contas.

Não existe acaso. Uma nova geração de juízes, promotores, desembargadores e humanistas se apresenta para combater com veemência o egoísmo, o orgulho, a prepotência, a hipocrisia, a corrupção, num descortino histórico, pois não há mais como continuarmos a viver através de interesses pessoais e de pequenos grupos, em prejuízo da coletividade humana e do próprio planeta. Se temos leis consideradas muito boas, elas devem ser colocadas em prática, e aqueles que infringem essas leis devem ser punidos.

Devemos apoiar decididamente todas as ações que visam combater o desvio de verba pública, o enriquecimento ilícito, a corrupção de todos os níveis, para que uma sociedade melhor surja desse esforço, que não é realizado sem pedras pelo caminho, pois o mal procura reagir de todas as formas possíveis para camuflar a verdade e manter as regalias que sempre usufruiu, em detrimento do bem estar do povo.

Não nos iludamos com as promessas do socialismo materialista representado por diversos partidos políticos, e por ícones de nossa estrutura social. Quando falta espiritualidade nos discursos e, principalmente, nas bases ideológicas, os resultados, como já assistimos, trarão imensas desilusões. Estejamos atentos e utilizemos o bom senso, não permitindo a repetição de cenários que já trouxeram muita dor, sofrimento e arrependimento.

É tempo de semear o bem, de procurar o que é justo, de trabalhar honestamente e de implantar a solidariedade, a cooperação e a fraternidade. Os direitos são iguais e uma nova ordem social está nascendo, para trazer paz de espírito, extinguir a miséria e promover equilíbrio social.

Não fiquemos escandalizados com as reações hipócritas, com as manobras sorrateiras, com a falsidade dos discursos de autoridades públicas, de legisladores e empreendedores, pois eles estão navegando em águas equivocadas, e, mais tempo ou menos tempo, acabarão por naufragar em seus atos impensados.

Façamos nossa parte apoiando as investigações promovidas pela Justiça Federal e pelo Ministério Público e, igualmente, trabalhando pelo bem, pois se aqueles que muito têm devem ser responsabilizados pelos desvios que cometem, nós também devemos ser honestos no pouco, pois com a mesma medida que julgarmos o outro, seremos julgados.

Vale lembrar um ensino trazido há mais de dois mil anos: a cada um será dado segundo suas obras.

Acreditemos em dias melhores, que a tempestade vai se transformar em bonança, e que o futuro será bem melhor que o presente.

Comentários

Denise Santos disse…
Toda essa convulsão em que o mundo se remexe é necessária para que entendamos o valor da paz e da consciência tranquila na certeza do dever cumprido. Precisamos confiar no nosso Governador Planetário. Se isso tudo que estamos vivenciando não fosse para o nosso bem Ele não deixaria acontecer. Façamos a nossa parte alimentando as vibrações positivas, as forças do bem que estão em movimento para que males maiores sejam evitados.
Parabéns pelo texto Sr Marcus.

Postagens mais visitadas deste blog

O que é educação moral

O Que é Educação de Qualidade?

Escolas diferentes pelo mundo